Participe do grupo CEPCoS e compartilhe experiências com pessoas de todo o Brasil.
Visitar este grupo

Blog

Postado por cepcos
Banalização da Sexualidade

imagesCAG72E9JO sexo, há algumas décadas, era algo ligado estritamente ao fórum íntimo/privado. Qualquer expressão pública era reprimida, o pudor era elevado.

Hoje vemos uma realidade completamente diferente neste âmbito. As expressões de sexualidade estão banalizadas. Encontramos beijos ardentes, amassos e até mesmo demonstrações mais explícitas de sexualidade, nas ruas, escolas, nas casas e principalmente nas mídias.

Não existem mais horários apropriados, a sexualidade é exposta a qualquer hora. Na televisão, vemos nos seriados, desenhos, programas e novelas, o sexo sendo tratado de maneira banalizada, explícita, vulgar e muitas vezes sem nenhum afeto ou intimidade envolvidos, que são importantes para nossa concepção de sexualidade sadia, feliz e prazerosa. Quando falamos de internet isso se torna ainda mais visível e incontrolável.

Essa é nossa atualidade, e nossas crianças e jovens estão vivenciando-a, quer queiramos isso ou não. Desta forma, o nosso papel, seja como adultos, pais, familiares ou educadores, é trazer conhecimentos fidedignos, pensamento crítico e valores.

Já que não conseguimos controlar a mídia nem o ambiente externo, a nossa parte deve ser cuidar com o exemplo que estamos dando. Afinal, uma das mais eficientes formas de aprendizado é pelo exemplo. Portanto, ficam os questionamentos: o que eu estou vendo na TV? Como eu me comporto com meu(minha) parceiro(a) perante o público? E no ambiente privado, em casa? O que eu falo sobre relacionamento, sexualidade, sexo? O que eu falo sobre mídia? O que eu ensino ou des-ensino? E o mais importante, as minhas falas e ações/atitudes sãocoerentes?

Afinal de contas, se a mídia mostra o sexo de forma tão banalizada, em parte é porque damos ibope!

 

Artigo criado pela psicóloga e terapeuta sexual Paula de Montille Napolitano