Participe do grupo CEPCoS e compartilhe experiências com pessoas de todo o Brasil.
Visitar este grupo

Blog

Postado por cepcos
Sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST’s)

017 dstNão me deterei aqui a descrever as doenças, mas quero conversar sobre algumas questões que são importantes sabermos para nos prevenirmos adequadamente. As doenças sexualmente transmissíveis (DST’s) são doenças transmitidas através de contatos sexuais, em relações que envolvam pênis, vagina, boca e ânus. Desta maneira, o sexo vaginal, sexo oral ou sexo anal podem transmitir essas doenças.

A maioria das mulheres já criou o hábito de ir ao ginecologista regularmente. Infelizmente, os homens ainda não aderiram a este importante e saudável hábito, em funções de alguns preconceitos em relação ao urologista, ou melhor dizendo, do médico que irá “mexer lá”. A importância de constantemente ir a esses médicos é basicamente verificar se está tudo bem com os órgãos genitais.

O ser humano tem uma tendência a remediar mais do que prevenir, o que é um problema, pois muitas vezes pode ser tarde para tratar algumas doenças sexualmente transmissíveis, ou simplesmente ser mais difícil e demorado tratá-las. Desta maneira, no primeiro instante em que perceber alguns sintomas como feridas, corrimentos, verrugas, caroços, inchaços, coceira ou dor nos orgãos genitais, no ânus ou mesmo na boca, deve-se procurar o ginecologista ou urologista, para que esse possa indicar o tratamento mais indicado.

A importância da regularidade nas visitas a esses médicos deve-se também ao fato de algumas doenças serem assintomáticas, ou seja, não apresentarem nenhum sintoma. Desta forma, somente com exames específicos é que se pode detectá-las para depois, na medida do possível, tratá-las.

Vale lembrar que, para se adquirir uma doença, não tem cor, raça ou sexo, todos nós estamos igualmente sujeitos. A única forma de realmente nos prevenirmos é o uso do preservativo, o masculino ou o feminino. Assim, no sexo vaginal as opções são um dos dois preservativos. Na relação sexual anal, utilize o preservativo masculino. Já no sexo oral que a mulher faz no homem, o preservativo masculino (os de sabores são uma opção), e para o homem fazer sexo oral na mulher existem algumas opções, que normalmente costumam ser menos conhecidas, como: camisinha feminina; camisinha de língua, que pode ser encontrada em sex shop, mas é mais utilizada como um apetrecho sexual para dar prazer à mulher do que pela prevenção em si; e uma forma mais “rústica” seria usar aquele papel tipo magipack, usualmente utilizado na cozinha.

A questão aqui é a prevenção, é o cuidado com o nosso corpo, com a nossa saúde, com a nossa vida! Nada vale o risco de colocar a sua saúde e a da sua parceria em jogo. Devemos nos atentar para atitudes positivas e saudáveis com vivência de nossa sexualidade, buscando, assim, sermos saudáveis e felizes, com responsabilidade e respeito conosco e com os outros.

Como estão as suas atitudes em relação à sua saúde sexual?

Artigo criado pela psicóloga e terapeuta sexual Paula de Montille Napolitano